Acampa na Serra da Caxexa

Em dezembro de 2008 a galera se reuniu e foi acampar na Serra da Caxexa. Fomos quase todos do grupo, entre mulheres e marmanjos. Foi nosso terceiro acampamento por lá e último desde então. Como sempre saimos atrasados, mesmo depois de muitas recomendações na noite anterior. A programação foi a seguinte: Pela manhã montar barracas, a tarde escalada na Pedra do Delegado, no outro dia rapel no delegado.

Vila P9

Durante a manhã tudo ocorreu como programado.Levamos o alimento já pronto para o primeiro almoço. O interessante foi que alguns comeram um “prato típico”  da região; o Punaré. Pra quem não conhece é um pequeno rato que vive nas locas das pedras. Tem gosto de rato. Meu filho parece que não gostou muito.

O Punaré, quase pronto pra ser devorado.

A tarde tentamos fazer uma escalada (top hope) pra sacar a rocha e avaliar futuras vias. Eu entendi que há um potencial muto bom e a possibilidade de muitas vias na rocha.

Escalada na Pedra do Delegado

Enquanto eu e G ficamos na Pedra do Delegado, o resto da galera foi conhecer a Pedra do Oratório, me parece que o passeio foi bom, voltaram empolgados e com belas fotos do pôr-do-sol.

A galera curitndo o sol indo dormir.

A noite foi uma aventura a parte. Resolvemos procurar uma barragem para tomar banho, detalhe: não sabíamos o caminho. Dá pra imaginar o que aconteceu. Nos perdemos no mato e depois de umas duas horas rodando e passando pelo mesmo lugar várias vezes, finalmente chegamos no nosso objetivo. Depois de separarmos os locais dos homens e mulheres e alguns ficarem indecisos (rs), tomamos nosso banho e retornamos ao acampamento, a volta foi mais fácil e gastamos apenas 30 minutos. A noite foi regada a um bom vinho e boas conversas.

Banho na noite.

No dia seguinte subirmo a Pedra do Delegado onde todos fizeram rapel. A subida é um pouco íngreme, mas nada que assuste aos sedentários, o segredo é um passo de cada vez.

Acampa e o Delegado

Tudo ocorreu tranquilamente e a galera curtiu mais um encontro do Patrulha 9. Infelizmente foi nosso último acampamento e espero que o próximo chegue logo.

Minha Prima na Serra da Caxexa

Vou tentar lembrar de alguns momentos interessantes que passei na Serra da Caxexa. Foram três acampamentos e alguns bate e volta. Na minha memória veio a lembrança de um dia no mês de Dezembro quando minha prima Flavinha veio da capital pra cá, de tanto falarmos da Caxexa, ela ficou curiosa e então resolvemos ir e voltar no mesmo dia. A aventura já começou na ida quando o carro atolou na areia, depois de alguns empurrões tudo resolvido.

Chegando na serra visitamos como de costume dona Maria Barbosa e logo começamos a subir a Pedra do Delegado para montarmos a descida.

Quase 50 metros de adrenalina.

O rapel é tranquilo, são quase 50 metros sem negativo. A vista é fenomenal e a paisagem é de encher os olhos. Todos descemos tranquilamente, mas se antes um show particular do nosso amigo Fox, não posso expor os detalhes, mas foi uma boa interpretação de uma música de Robin Williams.

Vista de cima da Pedra do Delegado

No fim da tarde voltamos até a casa de Dona Maria Barbosa e depois de despedidas e fotos, perna pra que te quero. Pra variar atolamos na volta também.

Nossa amiga Maria Barbosa

Serra da Caxexa

Serra da CaxexaO Patrulha9 tem visitado a Serra da Caxexa localizada no município de Casserengue a 25km de Solânea, o objetivo é futuramente tornar o lugar uma referência no esporte de aventura na região, potencial o lugar tem. Embora nossas visitas tenham se iniciado a quatro anos atrás, só agora eu despertei para escrever sobre isto.

No ano de 2004, estivemos lá eu, Jeilson e nosso amigo Assis, que não faz parte do grupo, mas que no tempo que morou aqui em Solânea aventurou-se conosco, eu já havia estado lá por duas vezes por motivo de pesquisa acadêmica, lá  foram encontrados alguns sítios arqueológicos, mas isto fica para uma outro post. Nosso objetivo era fazer o que nenhum ser humano até hoje havia conseguido; escalar a Pedra do Oratório, confesso que tivemos bastante dificuldades para chegar até o cume, mas depois de algumas horas de escalada conseguimos,  a vista é maravilhosa, indescritível. Durante a escalada pudemos ver um ninho do Gavião Serrano com um ovo, um dos maiores da região e lá no topo o ninho de um passáro que não soubemos identificar. Nesta empreitada passamos apenas o dia todo, fora a conquista, o mais importante foi termos conhecido alguém que seria nossa anfitrião por muito tempo, Maria Barbosa(65 anos) , uma figura de pessoa, ela mora no pé da serra desde que nasceu, nunca se casou e hoje habita uma humilde casa só com a companhia do seu fiel amigo cão, suas galinhas e um gato. Pra nós foi um imenso prazer termos descoberto pessoa tão maravilhosa, a noitinha voltamos para casa.