Ouvindo a voz de gaia

No último final de semana vivi uma experiência muito legal com um grupo de amigos, familiares, os conduzi para a Cachoeira do Roncador no domingo, o fato é que tinha tudo pra  não ir prestar o serviço por questões pessoais, mas como nada é por acaso. Conheci o casal Nara e Felipe e suas amigas Rebeca e Tiana que solicitaram meus serviços e estavam hospedadas no Eco Spazzio. Fomos de carro por Borborema, paramos um pouco na cidade pra falarmos sobre a história da região entre outras informações, logo seguimos pela estrada.

Senti que o dia seria diferente, normalmente não visualizamos muitos animais silvestres, mas contra todas as previsões logo no começo da estrada eu avistei uma cobra atravessando o nosso caminho, provavelmente uma corre campo.Nara disse que avistou uma minhoca, o que não desminto, pois podia ser que ambas estivesses passeando juntas, de uma coisa tenho certeza: eu vi uma cobra.

 

Nunca tinha visto este inseto.

A estrada por Borborema ,mesmo com o temporal que caiu no sábado, estava acessível, não era a melhor estrada do mundo, mas com jeitinho qualquer carro passava. Antes de pararmos pra fazer a trilha até o túnel de Samambaia avistamos um Tivuaçu ( Tejo) andando pela lateral da estrada, quando ele nos avistou, perna pra que te quero.

Paramos e seguimos pela trilha por mais ou menos 3km até um pouco depois do túnel, pra minha surpresa avistamos um calando verde, que até pousou pra foto.

 

Túnel de Samambaia

Voltamos pro carro e seguimos nosso caminho até a cachoeira, chegamos lá por volta das 11:00h. Como eu havia previsto( por causa da chuva do sábado), a cachoeira estava com muita água e gente. O que me chamou atenção foram dois grupos fazendo rapel, me parece que tinham experiência, pois não aconselho ninguém que não há tenha se arriscar na prática do cascading naquelas condições, muita água e muito lodo.

Bendito pé de carambola

Pra variar na volta da cachoeira quando ainda estávamos na trilha, avistamos um papa vento ( lagarto) e na estrada uma outra cobra. Este dia ficará guardado com muito carinho, não só pela natureza ter nos dado o ar da graça, mas sobretudo por conhecer pessoas maravilhosas como aquelas.

 

Anúncios

Estrada para Cachoeira do Roncador

Pra quem pretende visitar a Cachoeira do Roncador nos próximos dias leve este  meu conselho em consideração: não vá por Borborema, se você estiver num carro pequeno e baixo  a melhor opção é por Pirpirituba, para quem vem de João Pessoa e Natal não fica tão difícil, nem contramão. Talvez seja mais incoveniente para quem vem de Campina Grande,só aumentará uns 20km, mas com certeza se você não quiser passar por alguns riscos é o melhor caminho.

Pousada Cachoeira do Roncador

Visitei o espaço onde começará a funcionar a Pousada Cachoeira do Roncador. A proprietária Srª Adaneide me mostrou toda área  e as unidades habitacionais, o ambiente é simples, mas aconchegante e com uma natureza exuberante, de início ela construiu 3 apartamentos e ainda pode-se utilizar os quartos da casa grande. Existe uma boa área para camping, o equipamento está localizado a 1 km da Cachoeira do Roncador.

Para reservas e informações ligue BREJOTUR 9315-2846 / 8710-4026 /9987-3639

Cachoeira do Roncador com a família

Durante todo período de São João estive na cachoeira com turistas, mas no domingo foi a vez da família, minha filha ainda não conhecia esta cachoeira, assim como meu tio e primos da capital. No domingo o fluxo de água já estava bem menor do que a quinta, sexta e sábado, como as chuvas não estão ajudando a tendência é diminuir mais ainda, este inverno tem sido o pior dos últimos 10 anos, de vez em quando chove um pouco aumentando o nível do rio contribuindo para que a cachoeira aumente sua queda d’água.

Tirolesa na Cachoeira do Roncador

Estivemos hoje na cachoeira fazendo tirolesa com uma galera de João Pessoa. Não houve trilha desta vez, mas ficou acertado que da próxima faremos a trilha do túnel de Samambaia por Borborema.

Lama, Suor e Óleo Diesel na Cachoeira do Roncador

Lama Suor e água

Lama Suor e água

Já dizia Miguel de Cervantes que ” A perseverança é mãe da boa sorte”, acho que esta frase tem tudo a ver com o post que começo a escrever. Algumas semanas atrás ligou para mim o Sr. João Cadete expressando  sua vontade de conhecer o Brejo paraibano, fiquei feliz  principalmente porque ele mora em João Pessoa, por incrível que pareça os paraibanos não conhecem seus estado e prova disso é que temos recebido mais pessoas do Rio Grande do Norte para visitar nossa região do que os nossos conterrâneos da capital e menos ainda do Sertão.

Tudo ia bem com o planejamento da vinda de João com sua família, até que um belo dia a estrada (PB 105) que nos  liga  até a capital fica sem condições de tráfego. O pior foi saber que o dono do hotel para o qual João viria o desestimula dizendo que não tinha condições dele chegar até aqui, mas isto não o desanimaria, de pronto ele faz reserva em outro equipamento( Hotel Vale do Paraíso em Bananeiras). Ao ligar pra me informar dos fatos e sugiro algumas opções de rota para ele chegar até Solânea.No dia planejado, neste dia visitamos Bananeiras e o Cruzeiro de Roma, nossa aventura estava marcada para o outro dia.

Na Segunda nos encontramos de manhã no hotel e saímos para Borborema, lá deixamos o carro e segumos a pé até a Cachoeira do Roncador, o problema era como voltaríamos de lá depois de andarmos 8km em uma trilha pesada, principalmente por causa da lama, eu esperava que encotraríamos um pouco de dificuldade na trilha devido as chuvas, mas nada parecido com o que tivemos pela frente. Para resolver o problema da volta contratamos motos para nos pegar às 15:00 na cachoeira já que a estrada não passava carro. Seguimos pela trilha por volta das 10:00h, a previsaão de chegada seria às 12:30h no máximo, mas não contavamos com tanta lama, na verdade nunca tinha visto tanta lama nesta trilha. Evidente que a caminhada ficou muito devagar devido aos cuidados peculiares de um terreno escorregadio e com muita água, mas no fim acabou sendo muito divertido, a trilha que duraria no máximo 2:30h acabou em 4h, chegamos no almoço às 2:00h da tarde. Logo após enchermos o buxo fomos visitar a cachoeira, tivemos que atravessar o rio com um certo cuidado, meu amigo Tiago (membro do p9)  me ajudou durante todo trajeto e sua presença se mostrou importante principalmente na travessia que se tornou o momento mais delicado do dia, graças a Deus a Tiago e a um pedaço de corda conseguimos que todos cruzassem sem nenhum problema, ao chegarmos na cachoeira ficamos deslumbrados com a mais bela paisagem da maior cahoeira da Paraíba em plena cheia, um momento mágico, um encontro com o criador.A volta foi tão aventureira quanto a ida, as motos deslizavam que parecia que estávamos andando sobre o sabão, mas tudo terminou bem, a não ser pelo banho de lama que alguns sofreram, nada que não saísse com  uma boa ducha de água limpa.

Cachoeira do Roncador no Inverno

Roncador

Para quem pretende visitar a Cachoeira do Roncador no período do inverno(que aqui no brejo se intensifica a partir do final de abrilo até julho, podendo variar um pouco), tem que tomar a precaução  de saber  se choveu  muito na região, você corre o risco de chegar aqui e perder a viagem porque a cachoeira está com sua capacidade máxima sendo impossível  tomar banho,  caso o visitante não queira que seja seu último.