Patrulha9 leva grupo de João Pessoa para a Pedra da Boca

boca2-22jp.jpg

No último domingo 17, o Patrulha9 (P9) esteve no Parque Estadual da Pedra da Boca com um grupo de João Pessoa, o objetivo principal era fazer rapel na Pedra da Aroeira (47m), chegamos no parque às 09:30h, estava com cara de que ia chover, resolvemos mudar a programação e fazer o rapel pela manhã pra não correr o risco de  pegar a chuva a tarde, por que  parecia que isto ia acontecer, inclusive estávamos torcendo pra cair um toró d’água a tarde pra gente poder tomar banho nas pequenas cachoeiras que se formam  nas canaletas das rochas. Seguimos em direção a pedra da boca, antes de fazer rapel visitamos o interior da boca da pedra, mas durante o trajeto que é só subida, um amigo nosso Luis Nicomedes que veio de Campina Grande passou mal e teve que ficar pra trás, deixamos um dos P9 tomando conta dele, continuamos a saga até nosso destino, tínhamos três mulheres no grupo; Lena, Pollyana e Cibele ( Baralho), das três a que nos deu mais trabalho foi esta última, mas nada que não nos divertíssemos com suas dificuldades, o resto do grupo era formado por Elder, Tavinho, Júnior, Bruno e Gustavo (acho que esqueci o nome de um). Continuando, chegamos na boca da pedra e para a nossa surpresa e felicidade nosso amigo Luis chega alguns minutos depois na compainha de Jeilson e Serginho, foi uma festa, passado alguns minutos e muitas fotos descemos para a pedra da aroeira para fazermos rapel, tudo ocorreu tranquilamente durante as descidas, o único imprevisto foi minha corda ter engalhado num cristal de rocha, Bruno teve que descer para me ajudar a desengalhar, pois seu irmão Gustavo que era meu companheiro de descida não conseguiu, sem mais problemas todos descerão e fomos almoçar às duas horas da tarde, mortos de fome comemos a boa comida de Dona Zilda. Sem muitas cerimônias seguimos para a segunda parte da programação, fomos até a Gruta do Caçador, antes passamos pela Pedra do Forno, na vinda para a  casa de Dona Zilda onde estava nosso carro, visitamos a Pedra da Santa. Foi um domingo maravilhoso com uma galera que nos proporcionou momentos inesqueciveis. Os membros do Patrulha9 presente além de mim eram: Flávio, Jeilson e Serginho.

Acampamento na Pedra da Boca

boca-irmaos22.jpg 

Na úlitma sexta dia 04 fui acampar na Pedra da Boca com meus dois irmãos que moram em Cuiabá, é claro que a galera do Patrulha 9 também foi junto, fomos depois do almoço e voltamos no sábado a tarde, na sexta a tardinha fomos ver o pôr-do-sol em cima da pedra da caveira, o visual é show. A noite dormimos numa barraca, foram  oito pessoas, queríamos inaugurar a barraca que havíamos comprado, o manual dizia que cabia sete pessoas, testamos com oito, na verdade descobrimos que só cabe sete mesmo (risos), de manhã subimos para a boca da pedra e depois fizemos um rapel de 47 metros na Pedra da Aroeira ( muitos dizem que este rapel tem mais de 50 metros), é uma descida tranquila, a atração da descida foi um ratinho selvagem que encontramos, na verdade não sei o nome daquela espécie, pra mim era uma coisa nova, ele estava em cima da rocha no caminho da descida, já perto do final, um amigo nosso pegou e fizemos a festa, parecia que ele era domesticado e  interagiu conosco sem nenhum problema, tiramos fotos e depois o soltamos no mesmo lugar, ainda tivemos tempo de colocar um nome nele, nosso amigo Marconny o batizou de “mimoso”. Um outro fato importante foi conhecer Wagner,  ele  me disponibilizou alguns croquis das vias de escalada do parque, de agora em diante quem tiver interesse nos croquis é só entrar em contato comigo que envio por e-mail.

Não posso deixar de agradecer a Dona Zilda pelo acolhimento que ela nos deu e sempre nos dá, um acolhimento de mãe. Pra quem não conhece, ela mora na casa de apoio do parque e  serve refeições com aquele tempero que só ela tem, se for na Pedra da Boca procure Dona Zilda e saborei a típica e gostosa comida regional.

Pedra da Boca no feriado de 15 de novembro

boca2.jpg

Estava em falta com o pessoal de Campina Grande que veio através da Agência Avantur que é de minha amiga Marivane. Sem mais delongas, no dia 15 de novembro fui para a Pedra da Boca acompanhar o grupo que a Avantur organizou, chegamos lá um pouco atrasados  às 10:00h, a trilha duraria de duas horas e meia a três dependendo da disposição do grupo. Fizemos então a trilha da integração conhecendo algumas cavernas e grutas, a Pedra do Forno, Pedra da Caveira e Pedra da Santa, durante o percurso não tivemos muitas dificuldades, embora no grupo existisse uma criança de 10 anos. O percurso dá um pouco mais de três quilômetros, mas devido o acesso ser de dificuldade técnica moderada não se pode apressar muito, concluimos a trilha em duas horas e meia conforme o previsto, almoçamos às 13:00h, aquela comida caseira deliciosa preparada por Dona Zilda, depois de um cochilo na rede, partimos às 15:00 em direção a Pedra da Boca, nosso objetivo era ir até a boca da pedra, o percurso é só subida e tivemos q parar de metro em metro para adquirir fôlego, foi mais difícil pra algumas pessoas, até porque já tinha o acúmulo do cansaço da manhã, tivemos que usar um pedaço de corda que eu levei para facilitar o acesso à boca, com muita cautela chegamos no nosso objetivo e diante daquela linda paisagem só nos restou apreciar a criação divina. Às 17:00h começamos a descer e por volta das 18:00h chegamos na casa  de dona Zilda onde estava a Splinter, depois de dançar um forrozinho ao som de Luiz Gonzaga, partimos às 19:00h para Campina Grande. Mesmo diante das piucas dificuldades que encontramos era notório a satisfação de todos, até porque qualquer cansaço compensa todas as paisagens que são vistas naquele lugar mágico. Mais uma vez agradeço  a minha amiga Marivane que teima em divulgar as riquezas da nossa região.

Parque Estadual da Pedra da Boca

Pedra da Caveira

 O parque estadual da pedra da boca (PEPB) está localizado na cidade de Araruna a 170km de João Pessoa, 120km de Natal e 130km de Campina Grande, possui uma área de 156 hectares, com toda certeza é o principal lugar de destino na paraíba pra quem gosta de ecoturismo e esporte de aventura, sua beleza natural é composta de várias formações rochosas, as principais são a Pedra da Boca(336m), Pedra da Caveira, Pedra do Cordeiro, a Pedra do Forno e a da Santa, inclusive estas duas possuem inscrições rupestres feitas pelos índios da nação tapuia que habitaram aquela região, outros atrativos são as várias cavernas e grutas e a Mata do Gemedouro. O parque é  visitado por muitos turistas de outros estados, principalmente do Rio Grande do Norte e até de outros países como Portugal e Holanda. A estrutura de hospedagem mais próxima fica em Passa e Fica a 6km, mas para quem quiser acampar, seu Tico dispõe de área específica nos limites do parque, ele também serve uma boa comida regional, Dona Zilda com toda sua simpatia também serve comida típica no seu humilde, porém aconchegante espaço.

Se você quiser viver momentos inesquecíveis em contato com a natureza, com certeza o PEPB é o lugar, o grupo de esporte de aventura Patrulha 9 da cidade de Solânea pode lhe propocionar grandes aventuras.

Turismo de Aventura

Rapel na Pedra do Caixão 

O turismo de aventura é um dos segmentos que mais cresce no Brasil, principalmente por nosso país possuir belezas naturais singulares que viabilizam as atividades que envolvem este tipo de turismo. Aqui em nossa região existem lugares que nos propocionam sentir grandes emoções. Pra quem gosta de caminhar ou pedalar em harmonia com a natureza, não pode deixar de conhecer as  belas trilhas em Bananeiras, Borborema, Areia ou no Parque Estadual da Pedra da Boca (Araruna), mas  pra quem prefere sentir adrenalina ,não faltam opções, você pode escolher fazer  tirolesa, arvorismo ou um emocionante rapel. Não detalharei os referidos lugares neste post, depois dedicarei um post pra cada um, pra não ficar um texto muito longo.

O Brejo pode lhe proporcionar grandes emoções, só é preciso que você se disponha a conhecer esta bela região.