Grupo de Campina Grande Visita o Roncador

Túnel de Samambaia

Hoje durante todo dia tive o prazer de receber um grupo de quinze pessoas vindas de Campina Grande trazidas pela Agência de Turismo Avantur. Nosso destino principal era a cachoeira do roncador, mas antes passamos por Borborema, onde apreciamos uma bela vista da cidade, do alto da igreja matriz, foi um momento de falar um pouco sobre a região e da trilha que iríamos fazer. Partimos então rumo ao nosso destino, seriam 2,3km por uma das mais belas trilhas do brejo paraibano, não fomos até o roncador caminhando, o carro nos esperou na estrada que vai pra lá, ponto onde os caminhos se convergem, o mtorista ( Seu Pedro) foi sozinho nos encontrar no local marcado, 5km de Borborema. Seguimos nosso caminho, passamos pela antiga hidrelétrica, a primeira do nordeste, não havia água no sangradouro da barragem, afinal o período de estiagem começou. A trilha de Samambaia percorre parte do trajeto que o trem quando ia até Borborema (a partir de 1913) passava, saõ belos paredões rochosos que foram abertos com explosivos para dá caminho a modernidade. O pessoal não reclamou de cansaço durante o percurso, já que a trilha é leve e sem muitos obstáculos, embora tivessemos que passar por umas lamas que os riachos que ainda estão correndo produziram, na verdade estes momentos serviram para animar um pouco o ambiente, as meninas sujaram seus tênis e algumas levaram pequenos escorregões, nada demais. Durante o trajeto podemos perceber a variedade de flores que embelezavam nosso caminho, afinal é primavera.O momento ápice desta trilha foi quando chegamos ao  Túnel de Samambaia, um dos únicos túneis no Brasil que possui uma curva, temos a sensação que é um túnel sem luz no fim. Tiramos muitas fotos ao som dos morcegos que bailavam sobre nós, foi um momento muito especial, andamos um pouco e avistamos o carro que estava nos esperando, seguimos então para a cachoeira do roncador, chegamos no restaurante de dona Lurdes por volta de meio-dia e meia, este é parada obrigatória antes de ir pra cachoeira, nunca havia visto tantas pessoas naquele local (deve ser por causa da propaganda na TV),  esperamos um pouco e depois almoçamos, já estávamos mortos de fome, a comida como sempre estava ótima. Barriga cheia, pé no mundo, fomos pra cachoeira que fica a uns quinze minutos de lá. A cachoeira não estava com sua capacidade máxima, mas com certeza sua beleza continuava imponente. O pessoal ficou maravilhado com o lugar, quase todos não resistiram e mesmo sem roupa apropriada foram tomar banho, foi uma festa.

Agradeço a Marivane, que teve a iniciativa de formar o grupo, ao incansável Cleber que junto com Adriana estão nesta caminhada ajudando Marivane e a todos que se dispuseram a conhecer nossa região, Otacilio e família, Luis, Vânia, Patrícia, Sandrinha, Rachel, Alessandro, Gleuton, Ana, Gigi e Rosália. Espero que esta visita no brejo se repita por muitas vezes.

Caminhos dos Engenhos

Produção

Este roteiro é para quem deseja conhecer os principais engenhos do brejo, elaborado com a parceria entre SEBRAE, PBTUR,prefeituras e donos dos engenhos, o objetivo principal  é fortalecer o turismo na região contribuindo para o desenvolvimento econômico, já que nos engenhos estão sempre a venda produtos como cachaça, rapadura, doces, artesanatos, além de alguns já possuir lugares para se comer e dormir.Participam do projeto 15 engenhos localizados principalmente nas cidades de Bananeiras, Pilões, Areia, Alagoa Grande, Alagoa Nova e Serraria. Para se fazer este roteiro é necessário vir num carro que aguente andar em estradas de barro, algumas vezes mal conservadas  principalmente no período chuvoso (entre maio e agosto).Além de conhecer os engenhos, suas histórias e todo processo de fabricação da cachaça e rapadura, você terá  a oportunidade de se refrescar tomando  banho nas várias cachoeiras ao longo do trajeto.

Areia, Patrimônio Histórico Nacional

Areia

Localizada a 130km da capital, a cidade de Areia obteve este mês no Rio de Janeiro o título de Patrimônio Histórico Nacional, anunciado pelo IPHAN, sendo a primeira cidade paraibana a possuir tal honraria, diga-se de passagem já não era hora. Mas você pode estar se perguntando: o que Areia tem pra justificar tal importância histórica? Só pra começar, foi lá em que foi construído o primeiro teatro da Paraíba, o Teatro Minerva, inaugurado em 1859, restaurado a pouco tempo guarda quase totalmente sua originalidade, o mesmo foi construído para arrecadar fundos para a libertação dos escravos, a cidade foi uma das  primeiras do Brasil a libertar todos os cativos, mesmo antes da Lei Áurea.

Você já deve ter visto nas aulas de história aquele quadro “O grito do Ipiranga” pintado por Pedro Américo, pois é, este grande pintor chorou pela primeira vez em Areia, a casa que ele nasceu é hoje um museu onde guarda réplicas das suas obras, o escritor José Américo de Almeida, autor do livro A Bagaceira, também é filho ilustre daquela cidade.

Areia possui um vasto patrimônio arquitetônico, casarões construídos no século XVIII e XIX que podemos ver nas ruas da cidade em bom estado de conservação, A Igreja de Nossa Senhora do Rosário, edificada pelos escravos no século XVII é umas das poucas que existem na Paraíba. Será preciso mais de um post pra descrever tudo que Areia tem de atrativo turístico.

Turismo de Aventura

Rapel na Pedra do Caixão 

O turismo de aventura é um dos segmentos que mais cresce no Brasil, principalmente por nosso país possuir belezas naturais singulares que viabilizam as atividades que envolvem este tipo de turismo. Aqui em nossa região existem lugares que nos propocionam sentir grandes emoções. Pra quem gosta de caminhar ou pedalar em harmonia com a natureza, não pode deixar de conhecer as  belas trilhas em Bananeiras, Borborema, Areia ou no Parque Estadual da Pedra da Boca (Araruna), mas  pra quem prefere sentir adrenalina ,não faltam opções, você pode escolher fazer  tirolesa, arvorismo ou um emocionante rapel. Não detalharei os referidos lugares neste post, depois dedicarei um post pra cada um, pra não ficar um texto muito longo.

O Brejo pode lhe proporcionar grandes emoções, só é preciso que você se disponha a conhecer esta bela região.

Pousada e Engenho Laranjeiras

engenho_laranjeiras_2_020.jpg

Localizada na zona rural de Serraria a  126km da capital, 90 km de Campina Grande e 145km de Natal, a Pousada e Engenho Laranjeiras é uma ótima opção para quem gosta de tranquilidade em harmonia com a natureza. O lugar ainda guarda muita pomposidade, reflexo de uma época em que os donos de engenhos dominavam politicamente e economicamente a vida no campo, principalmente no  século XIX. O engenho não está em atividade, mas resta toda a estrutura para que se possa ter uma idéia de como funcionava a produção de rapadura, mel, aguardente e açucar mascavo. O estilo arquitetônico da casa grande é Art Nouveau, umas das únicas com este estilo no brejo paraibano.História a parte, falemos então da estrutura que a pousada dispõe para hospedar os turistas; são 18 unidades habitacionais que variam sua capacidade entre duas e sete pessoas, são bem aconchegantes, os quartos não possuem TV, ela se encontra numa sala específica, afinal nimguém vai pra um lugar deste pra assistir televisão, alguns possuem frigobar ou geladeira(para os maiores). Em relãção ao lazer, são oferecidas  muitas opções, entre elas: passeio a cavalo, piscina com água mineral direto da fonte, caiaques, tirolesa, trilhas ecológicas, tenis de mesa, espiribol e pescaria, há uma churrasqueira a disposição dos hóspedes. No restaurante são servidas comidas regionais, diga-se de passagem uma boa comida. Outro aspecto que chama atenção são os belos jardins e os animais que não se incomodam com a presença humana, os principais são os pavões, passáros e princiaplmente preás, com certeza um atrativo a mais para as crianças. Os preços são sob forma de pacote, não se trabalha com diária, se você quiser chegar no sábado e partir no domingo, o valor é de R$ 120,00 por pessoa, incluso todas as refeições, se sua vontade é curtir mais tempo o lugar (vale a pena) e quiser chegar na sexta-feira depois do almoço o pacote fica por R$ 150,00.

A localização da Pousada Laranjeiras é estratégica para quem quer conhecer outros atrativos do brejo paraibano, a mesma está localizada a 13km de Bananeiras, 60km de Areia, 10km da Cachoeira do Roncador, 55km da Pedra da Boca(Araruna), 30km da Estátua do Fre Damião(Guarabira) e 20km do Santuário de Padre Ibiapina(Solânea).

Mistério em Solânea

O município de Solânea situada a 140km da capital, guarda na sua zona rural no sítio Cacimba da Várzea(distante 20km do centro),um misterioso monumento que aguça a nossa imaginação. O pesquisador e professor da Universidade Estadual da Paraíba Carlos Belarmino, esteve aqui visitando esta enigmática construção e nos deu alguma luz acerca de sua origem. Sei que deixei você curioso(a), vou tentar descrevê-lo; se trata de três rochas principais, onde a maior é sustentada por outras duas, como se fosse uma trave, na verdade não era este o objetivo (praticar algum esporte), de acordo com o pesquisador esta formação teria sido construída  por povos primitivos que habitaram aquela região, no caso o curimataú oriental. O objetivo seria do monumento servir como referência de espaço, assim como lugar de cerimônia e ritos de passagem, inclusive o mesmo é recheado de inscrições rupestres. A rocha principal pesa algumas toneladas, dificil de dizer precisamente, mas com cereteza não menos que cinco. O curioso também é que outras rochas menores foram usadas pra sustentar as maiores.Diante do argumento de que seria um monumento moldado pela ação do tempo, o pesquisador argumenta que não há rochas daquele tipo próximo dali, levando a crer que elas foram trazidas de outro lugar.Monumentos como este se assemelham aos dolmens que foram usados pelos povos primitivos na Europa, norte da África e uma parte da Ásia. Fica o convite pra você vir conhecer e dá sua opinião, foi a natureza que esculpiu ao longo do tempo ou foram os seres humanos que ergueram toneladas de rochas de forma ainda não explicada e construíram este belo e enigmático monumento?

Cachoeira do Roncador é em Bananeiras

Cachoeira do Roncador

Situada a 13km do centro de Bananeiras,  a cachoeira do roncador (maior da paraíba) já foi motivo de muita polêmica entre os municípios de Pirpirituba, Borborema e Bananeiras quanto a sua localização geográfica. Muita gente acha que a cachoeira pertence ao município de Pirpirituba, pois é através dele que se tem o melhor acesso. Outros imaginam que pertença a Borborema porque é por lá que se tem o outro caminho, um pouco mais complicado principalmente na época das chuvas. O fato é que à margem esquerda do riacho Bananeiras, para quem vem de Pirpirituba, pertence ao município de Borborema e à margem direita ao município de Bananeiras. Explicando melhor, quando atravessamos aquela pequena ponte antes de chegarmos ao restaurante de dona Lurdes já estamos no município de Bananeiras, sendo assim o lado de dentro do roncador é Bananeiras e do lado de fora antes da ponte é Borborema. Polêmicas a parte, o importante é que a cachoeira é um patrimônio nosso e sua preservação é nosso dever. A SUDEMA ( Superintendência de Admnistração do Meio Ambiente) está cuidando para criar uma área de preservação ecológica e com certeza a participação dos três municípios será importante para a implementação de políticas que visem melhorar o acesso e principalmente na promoção de campanhas ambientais visando a preservação para as futuras gerações daquela que com certeza é a maior e mais bela queda d’água da Paraíba.